Como a PSD2/SCA afetará o Aluguer de férias: as excepções serão as regras

O que é a PSD2/SCA e quando começará a ser aplicada?
28 Outubro, 2020
PSD2 e venda direta: Motor de reserva e PMS “PSD2 compliance”
26 Novembro, 2020

Como a PSD2/SCA afetará o Aluguer de férias: as excepções serão as regras

Se esta é a primeira vez que está sendo informado sobre a PSD2, recomendamos-lhe que comece com a primeira parte desta série de artigos: O que é a PSD2 e quando começará a ser aplicada? Com ele compreenderá os aspetos básicos para abordar os seguintes.

O mais importante é que compreenda que esta questão o afeta e por isso deve estar bem informado e começar a preparar-se. Desde AvaiBook já estamos fazendo: estamos a adaptar o nosso software a PSD2 para cumprir os requisitos e sugestões a tempo. Pela vossa parte, recomendamos-lhe que siga o nosso blog; nos próximos dias publicaremos mais informações que podem interessar-lhe.

 

PSD2/SCA Explicado da forma mais simples e sucinta possível:A partir do dia 1 de janeiro de 2021 as regras queregem os pagamentos online foram alteradas. Este regulamento obriga a uma autenticação reforçada (SCA), ou seja, com 3DSecure 2, os pagamentos online dentro do EEE. Para pagamentos online “não presenciais” são feitas algumas excepções.

 

A PSD2 revela dois cenários de pagamento distintos:

O primeiro é a dos pagamentos online onde “o pagador está a realizar a transação pessoalmente” (chamadas “cobranças presenciais” mesmo que obviamente não esteja “na sua frente”, mas remotamente, está à frente do processo de pagamento). Por exemplo, movemo-nos dentro deste cenário quando um hóspede faz uma reserva com pagamentos online através do seu Motor de Reservas. Este cenário é relativamente simples de abordar, uma vez que na essência o pagador terá simplesmente de ser autenticado de forma reforçada (3DS 2) se for “afetado” pela PSD2. Assegure-se de ter um motor de reservas “PSD2 ready” com gateway de pagamento adaptada a SCA.

O segundo é a dos pagamentos online onde “o pagador não está a realizar a transação pessoalmente” (chamadas “cobranças não presenciais”). Ou seja, o pagador forneceu os dados do cartão na venda, foram guardados de forma segura, e posteriormente é necessário efetuar certos encargos. Por exemplo, quando temos de executar parte da cobrança por uma reserva após esta ter sido feita, cobrar um no-show, uma extra fees, ou uma penalização por danos. Este cenário é complexo e requer conhecer e tratar devidamente as chamadas “excepções” para dar uma solução precisa a estas situações tão frequentes na gestão dos nossos alojamentos turísticos.

 

Vamos rever as diferentes excepções

E vamos aprender quando serão necessários nos diferentes casos que encontramos na gestão de alojamentos turísticos:

1. Pagamentos efetuados por Cartões emitidos fora do Espaço Económico Europeu EEE(+UK)

Sempre que o pagador não seja do EEE + UK, temos de saber que a PSD2 não o afeta, então podemos efetuar a gestão como até agora. Não somos obrigados pela SCA a autenticar os pagamentos online de uma forma reforçada, e podemos continuar a efetuar cobranças “não presenciais”. É importante que o seu motor de reserva e sua plataforma de pagamento seja inteligente, e saiba como lidar automaticamente com esta excepção para evitar perdas de conversão nas suas vendas online.

 

2. Pagamentos efetuados por cartões Pré-pagos Anónimos ou Corporate (chamados COR).

Esta exclusão permitiria a cobrança de taxas aos cartões virtuais típicos B2B por vezes utilizados pela Booking.com, Expedia, ou certas agências. Como estes cartões não são nominais e são também utilizados para pagamentos “entre empresas” (B2B), o regulamento indica que podem ser transacionados sem uma autenticação reforçada.

Num outro artigo iremos analisar como os OTAs estão se adaptando a PSD2, mas já lhe informamos que haverá um aumento notável na utilização de serem “virtual card”. Portanto é essencial que tenha um Channel Manager adaptado para tratar e carregar corretamente estes cartões B2B, que muitas vezes se limitam a certas datas e montantes de cobrança.

 

3. Transações iniciadas pelo comércio (chamados MIT – Merchant Initiated Transactions)

Esta é a excepção que terá mais destaque no aluguer de férias, uma vez que nos permitirá canalizar os encargos “do resto da reserva”, no-shows, extra fees, e muitos outros.

Estas são transações iniciadas apenas pelo comerciante, em que o pagador está “ausente” no processo de pagamento. A primeira compra ou pagamento inicial é feita com autenticação SCA e é criado um acordo com o pagador. Em cobranças posteriores, o comerciante pode solicitar cobrar novamente sem a presença do pagador, porque já deu o seu consentimento para efetuar pagamentos futuros quando o acordo foi criado (sem uma programação ou montante definido).

Existem diferentes casos, muito frequentes na nossa gestão habitual, em que uma transação pode ser considerada MIT: pagamento de uma reserva em prazos diferentes, acréscimo de valor, encargos por cancelamento, no show… Em geral, estes são casos em que as credenciais (os dados do cartão autenticado) são armazenadas com o consentimento do cliente para efetuar pagamentos futuros, mas sem uma programação ou um montante definido.

Para que estas transações sejam consideradas excepções corretamente, e executadas dentro dos regulamentos da PSD2, deve haver um acordo prévio com o titular do cartão. Se este acordo tiver sido feito antes da entrada em vigor da PSD2, será válido. Se for feita depois disso, deve ser feita uma Autenticação reforçada (SCA) no momento da venda. Tal autenticação será necessária para que a transação MIT possa ser realizada em devido tempo sem o risco de ser rejeitada pelo banco emissor.

https://www.avaibook.com/pt-pt/motor-de-reservas/Como podemos ver, o setor do turismo tem muitos casos de utilização típica em que a correta implementação da excepção do MIT é muito importante. É portanto vital ter um Motor de Reservas com passarela de pagamentos adaptada a PSD2, que não só se ocupa do pagamento do adiantamento no momento da reserva, mas também permita um tratamento correto dos “pagamentos não presenciais” que possam surgir (pagamento do resto da reserva, taxa de cancelamento se aplicável, cobrança de custos adicionais, fianças, etc.).

É também muito importante ter um Channel Manager que seja adaptado ao tratamento que as diferentes OTAs fazem dos dados de pagamento e que saiba como gerir as diferentes excepções da forma correta para facilitar ao máximo os casos de transações para recolher as suas vendas, penalizações, no-shows, etc. Desde AvaiBook dispõe das melhores ferramentas adaptadas a PSD2/SCA e com aconselhamentos de especialistas na matéria. 

 

4. Operações em que o pagamento foi iniciado por telefone ou e-mail (chamados MO-TO)

Esta é uma excepção ainda difusa, à qual muitos Property Managers e alguns softwares “se agarram” de uma forma pouco ortodoxa, e em cujos limites ainda existem muitas incógnitas. Para poder realizar uma transação com excepção MOTO, e portanto sem autenticação reforçada, a venda tem de ser iniciada “off-line”, e o momento do pagamento é canalizado através de um link a uma gateway de pagamento (que se entende que é online) ou um gateway de pagamento por cartão telefônico.

A lógica diz que se depois de enviar um link por e-mail para o pagador, ele estiver num ecrã de pagamento, então ele estaria num ambiente de “pagamento presencial” e por lógica deveria ser autenticado. Por outro lado, uma gateway de pagamento telefônico não é “diz-me os detalhes do cartão e eu cobrarei manualmente no TPA“. Esta é uma prática demasiado difundida, mas insegura e não deve ser feita devido ao elevado risco de não cumprimento com a PCI, e de penalizações e reversões de risco.

Em AvaiBook aguardamos esclarecimento sobre a utilização desta excepção que, por exemplo, seria apropriada para gerir pagamentos de vendas diretas (reflete a reserva no sistema, e gera um e-mail para o cliente para fazer o pagamento ou fornecer o seu cartão de forma segura), mas só a implementaremos no nosso PMS se tivermos todas as garantias. Tenha cuidado com aqueles que canalizam através desta excepção, porque “nem tudo é válido” como MOTO.

 

Como pode verificar, a PSD2 afeta todo o aluguer de férias, mas no AvaiBook contamos com as melhores ferramentas adaptadas à PSD2/SCA para reduzir a fricção dos seus pagamentos, para além dos aconselhamentos da nossa equipa de especialistas na matéria.

 


Pode ler aqui o resto da série de artigos referentes a PSD2:

O que é a PSD2/SCA e quando começará a ser aplicada?

Como a PSD2/SCA afetará o Aluguer de férias: as excepções serão as regras

PSD2 e venda direta: Motor de reserva e PMS “PSD2 compliance”

OTAs: Adaptação a PSD2 e como o pode afetar