O Alojamento Local, um negócio até quatro vezes mais rentável que o arrendamento tradicional para as Imobiliárias

Revenue Management. O que é e como começar a trabalhar com ele
26 Outubro, 2021
Bases para uma boa estratégia de preços
11 Novembro, 2021

O Alojamento Local, um negócio até quatro vezes mais rentável que o arrendamento tradicional para as Imobiliárias

Escrito por:

Rafa Cruces

CEO da AvaiBook

 

O Short-Term Rental é já uma nova linha de negócio muito importante para as Agências Imobiliárias. No últimos anos, a ‘’invasão’’ do alojamento local revolucionou muitas Agências Imobiliárias, produzindo uma aceleração mesmo antes da pandemia, e com recuperação já em 2021.

Portugal é um dos países líder no sector do turismo e o crescimento dos alojamentos de alojamento local como opção eligida pelos visitantes para as suas estadias e férias não pára de crescer. Este crescimento intensificou-se pelas exigências de distanciamento e independência de que todos nos adaptámos desde a pandemia COVID. Os apartamentos independentes foram a eleição predominante durante a pandemia e a favorita do futuro.

 

Da receita pontual à recorrente e a multiplicação do lucro

As Agências Imobiliárias além de terem visto a possibilidade de gerar mais receita com esta nova linha de negócio que é muito rentável, notaram também a importância de multiplicar as sinergias que são produzidas e cobrir uma gama mais vasta de serviços.

Têm já a matéria-prima, os imovéis, que até serem vendidos podem gerar receita. Igualmente, se forem vendidos a investidores, como a Agência já faz a gestão de alojamento a curto prazo, também pode oferecer ese serviço ao cliente que realiza a compra.

Na operação tradicional de venda a Agência tem uma comissão pela mesma, mas se faz a gestão do alojamento turístico o benefício pode aumentar significativamente, por exemplo:

  1. Até à venda faz gestão do alojamento para aluguer turístico e obtem comissões/ receita de uma forma recorrente.
  2. Vende a um investidor ao qual pode também dar-lhe a conhecer a rentabilidade do imovél e obtem a comissão pontual da venda.
  3. Como tem o serviço de gestão de alojamento local, o comprador/ investidor poderá ser um cliente dessa linha de negócio e, de novo, gerar receita recorrente.

 

Alojamento Local VS Aluguer Tradicional

Cada vez mais os compradores o fazem como investimento para obter mais rentabilidade. O Alojamento Local oferece rentabilidade muito acima do aluguer tradicional. Assim, oferecer um serviço de gestão e exploração de alojamento local, complementa as tradicionais linhas de negócio das Agências – venda e aluguer tradicional.

De acordo com dados internos de AvaiBook: o aluguer de um alojamento médio que gera 500€/ mês, pode gerar entre 1500€ a 2000€ /mês em aluguer de curto prazo.

A experiência e conhecimento no negócio do Alojamento Local acaba por tornar as Agências Imobiliárias mais competitivas, já que podem aconselhar muito melhor os seus potenciais clientes que compram como investimento, com perspectivas de obter rentabilidade. Estes compradores podem ter um melhor serviço por parte da Agência já que são aconselhados sobre a rentabilidade que poderão ter explorando os imovéis como aluguer turístico.

Como empresa, a agência com este tipo de serviço é mais competitiva do que as que não têm esta linha de negócio.

 

Como trabalhar esta linha de negócio

Deverá ter em mente que a gestão turística requer uma gestão diferente e um trabalho adicional, comparando com o aluguer tradicional, e uma série de novas tarefas que terá que aprender e desenvolver (limpeza, check-in, comercialização através de canais ou venda directa, entre outros). A conclusão é de que é muito importante avançar no mercado de short-term rental com alguns parceiros que conheçam bem este tipo de negócio, que facultem formação na área, experiência e aconselhamento.

A AvaiBook, além de oferecer um software com o qual pode automatizar muitas destas tarefas oferece também aconselhamento e partilha de conteúdos muito úteis para as Agências.

 

 

Não se trata apenas de aluguer turístico, mas cada vez mais de aluguer de curta e média duração que não tenha que ser por motivos de lazer/ viagem, um nómada digital, ou passar uma temporada em teletrabalho num certo lugar. A pandemiafez ‘’disparar’’ as estadias mais longas do que é habitual e o short-term rental são estadias mais curtas que o aluguer tradicional. Um, dois ou três meses.

 

“O aluguer de alojamentos turísticos gera receita constante que a venda não oferece’’

Na AvaiBook temos falado com alguns dos nossos clientes de Agências Imobiliárias para poder partilhar a sua experiência.

José Jesús Darias Expósito, de Proyectos Insulares iniciou a linha de negócio de aluguer de alojamento turístico em 2020, em plena pandemia e com 4 alojamentos.

De acordo com José Jesús, este tipo de aluguer ‘’gera receita constante e não depende tanto de receita de venda imobiliária, que é mais pontual’’. Também ‘’ ajuda a captar imovéis e graças à procura turística é capaz de localizar e captar imovéis com maior potencial, tanto para exploração turística como para posterior venda’’

José também nos dá a informação de que ‘’durante o tempo em que o imovél está parado esperando uma venda, tira-se uma boa rentabilidade, de forma a que o período de espera até à venda se torne mais suportável e se obtenha mais redimentos. Por outro lado, é possível demonstrar em números a rentabilidade que o imóvel pode oferecer, e isso pode ajudar a aumentar o preço de venda.’’

Jesús Barrios, de InmoBarrios, iniciou a sua actividade com um apartamento e como funcionou bem foi crescendo com muitos mais.

De acordo com Jesús ‘’ Um dos benefícios mais importantes que obtivémos em trabalhar com a linha de negócio de alojamento local, foi a de transferência de clientes que obtemos de uma modalidade para outra’’. Garante também que ‘’oferecer a linha de negócio de aluguer de curta duração permite-nos gerar mais negócios e cobrir uma gama mais vasta de serviços’’.

Tirar partido desta nova linha de negócio é uma grande oportunidadae para todas as Agências Imobiliárias que não querem ser deixadas para trás, que querem cobrir uma gama mais vasta de serviços e que querem multiplicar os seus rendimentos.