OTAs: Adaptação a PSD2 e como o pode afetar

PSD2 e venda direta: Motor de reserva e PMS “PSD2 compliance”
26 Novembro, 2020
Contrato de arrendamento para férias: o que precisa de saber
16 Dezembro, 2020

OTAs: Adaptação a PSD2 e como o pode afetar


 

 

 

 

A irrupção do regulamento europeu sobre meios de pagamento PSD2 afeta o setor do turismo em múltiplos casos de utilização que são habituais na gestão de reservas. No artigo anterior revisamos como impacta a PSD2 nas vendas diretas e no Motor de Reservas. E neste artigo mostramos-lhe como as principais OTAs e portais estão a adaptar-se, e, portanto, como o seu Channel Manager deveria adaptar-se a estas mudanças.

 

Booking.com anunciou em outubro os seus planos de adaptação para a PSD2/SCA. A OTA informou que suportará a SCA somente para suas próprias Soluções de Pagamento (online payments by Booking). A sua estratégia parece clara, e continuarão a pressionar os hoteleiros e gestores de alojamento turísticos a terem todos os pagamentos tratados pelo Booking.com, em vez de terem os pagamentos tratados pelo próprio estabelecimento.  Se é cliente de AvaiBook, poderá continuar a ter o controlo dos seus pagamentos e a cumprir a PSD2 sem qualquer problema, definindo o modo como deseja cobrar cada reserva.

 Booking.com explica que as suas “adaptações a PSD2” foram determinadas por

  • A Solução de Pagamento (“payout model”)implementado no anúncio, ey 
  • Como o hóspede escolhe pagar
  • Estes casos geram os seguintes cenários:

    1. Proprietários com “payout model” Virtual Credit Card 
      1. Se o vhóspede escolher pagar online: Booking.com irá autenticá-lo se for o caso, e emitir um Cartão Virtual no momento da reserva.
        Este cartão virtual está excluído da PSD2, mas contém regras de funcionamento rigorosas que Booking.com marca, em termos de datas exatas e quantidades que podem ser carregadas na mesma. Estas restrições, de acordo com Booking.com, estão ligadas à política de cancelamento e visam respeitar o plano de pagamento da reserva, que é muito bom, mas na realidade o estabelecimento pode cumprir perfeitamente a política de cancelamento e o plano de pagamento sem a necessidade de Booking.com intermediar, recebendo diretamente os detalhes do cartão do hóspede. O fato é que desta forma será a Booking.com a marcar quando e quanto vai cobrar. Nem mais, nem menos.
        O nosso Channel Manager para Booking.com está adaptado às últimas adaptações implementadas pela OTA, permitindo-lhe gerir automaticamente os encargos para as Booking Virtual Cards, de acordo com as restrições que foram configuradas.  
      2. Se o hóspede escolhe pagar diretament no Alojamento e será cobrado “pessoalmente”: então a PSD2/SCA não se aplica. Booking.com não pede os detalhes do cartão de crédito do hóspede, e, portanto, não chegam ao estabelecimento por meio da descarga da reserva.
        Isto implica um grande risco, uma vez que o viajante fará uma reserva sem qualquer compromisso, aumentando assim as possibilidades de cancelamento com o custo que isso implica.
        Em AvaiBook recomendamos sempre a cobrança de um adiantamento sobre as suas reservas, ou a garantia das mesmas com pelo menos um cartão de crédito. Assim, se quiser gerir o pagamento pessoalmente quando o hóspede chega ao estabelecimento, pode fazê-lo com segurança ou pode mesmo cobrar antecipadamente através da nossa ferramenta de e Gestão de Cobranças (Passarela PSD2 compliant).
    2. O hóspede escolhe pagar diretamente no alojamento, mas pode ter de ser cobrado “remotamente” com antecedência (sem o hóspede à sua frente, cobrança “não presencial”; por exemplo pré-pagamentos, depósitos, no-show fees): a PSD2 pode aplicar-se, e embora o Booking.com não ( deveria) processar tais pagamentos, explica que avaliará se eles estão sujeitos à SCA:
      1. Sim a PSD2/SCA aplica-se: Booking.com impõe a sua intermediação, e o hóspede terá de pagar através da Booking.com, pelo que compreendemos que o payout model será forçado a Virtual Card (1.1).
      2. Se a PSD2/SCA não se aplicar: Booking.com diz que permitirá ao hóspede pagar online (através da sua própria plataforma, como no ponto anterior) ou pagar diretamente no alojamento (caso em que enviará os detalhes do cartão de crédito do hóspede normalmente como até agora através do Channel Manager).
    3. Proprietários com “payout model” Bank Transfer: Os hóspedes pagarão sempre online através da Booking.com e enviarão dinheiro para o alojamento após o check-in.
    4. Proprietários com “payout model” NÃO de Booking. Para os gestores que querem ter controlo sobre as cobranças das suas reservas, será muito difícil sem uma solução adaptada a PSD2/SCA. Se for cliente do AvaiBook, não se preocupe, estas alterações não lhe causarão quaisquer dores de cabeça, uma vez que a nossa solução irá adaptar-se a PSD2/SCA e poderá cobrar as suas reservas sem problemas.

    A OTA tem um interesse claro no pagamento da intermediação em cenários em que a PSD2 se aplica e onde não se aplica. Recordamos que Booking.com começou a oferecer a sua solução de pagamento gratuitamente, e custa atualmente até 2% (aproximadamente). A Airbnb estima um “custo de serviço” de 3% para o proprietário.

    Se é importante para si manter o controlo dos pagamentos, pode continuar a fazê-lo com AvaiBook, uma vez que estamos a adaptar o nosso Channel Manager e a Passarela de Pagamentos para que possa gerir todos os cenários, recolher automaticamente a autenticação quando necessário, e maximizar a operabilidade das suas cobranças.

    👍 PRÓS

    • Para clientes com “payout model Bank Transfer” todas as adaptações são 100% transparentes

    👎 CONTRAS

    • Complexidade para compreender todas as variantes possíveis que oferecem
    • Perda de controlo na gestão das suas reservas
    • Cobrar Virtual Credit Card é mais caro do que um cartão normal
    • Limitações às operações com Virtual Credit Card
    • Menos liquidez, pois está sujeita às condições de pagamento da Booking.com

     

    Expedia tem oferecido pouca informação até agora, e o que sabemos é:  

    1. Para os anunciantes com o modelo Expedia Collect: A OTA cobrará ao hóspede, e enviará um Virtual Card, como até agora.
    2. Este cenário é semelhante ao 1.1 de Booking.com. Em AvaiBook suporta-o e poderá continuar a trabalhar normalmente, uma vez que o nosso Channel Manager oficial da Expedia pode operar as cobranças para este tipo de cartões virtuais, tratando das excepções mais apropriadas, e permitindo-lhe implementar o seu plano de cobrança de uma forma compatível com as restrições de datas e montantes que os próprios cartões trazem.
    3. Anunciantes com modelo Hotel Collect: pelo que sabemos até hoje, a Expedia irá oferecer aos anunciantes um contrato de Virtual Card:
      • Se o anunciante o assinar: A Expedia informa que enviará um Virtual Card que só pode ser utilizado em caso de cancelamento ou no- show, no qual o alojamento tem direito a cobrar.
      • Neste caso, o alojamento está coberto se estas situações de cancelamento ocorrer fora do prazo ou no-show, mas pelo contrário, o alojamento é completamente descoberto se desejar cobrar com antecedência, ou “online”, uma vez que não terá outra solução senão cobrar pessoalmente e no momento da chegada ao alojamento, uma vez que a Expedia não partilha os detalhes do cartão de hóspede.
      • Se o anunciante não assinar: A Expedia informa que enviará os detalhes do cartão de hóspede, como faz agora habitualmente neste modelo Hotel Collect.
      • Na nossa opinião, esta é a forma ideal para alojamentos que queiram gerir a cobrança das suas reservas, para poderem cobrar de forma automatizada e remota. E AvaiBook oferece-lhe uma solução adaptada a PSD2/SCA para que o possa fazer de forma segura.

    👍 PRÓS

    • Não muda nada se tiver um contrato com o modelo Expedia Collect, ou com o modelo Hotel Collect e não assina o contrato para receber Virtual Cards.

    👎 CONTRAS

    • Expedia Collect representa um aumento de aproximadamente 3% sobre o modelo Hotel Collect
    • Tal como Booking.com, perda de controlo sobre a gestão das suas reservas
    • Operação nula para poder gerir diretamente as cobranças através do estabelecimento
    • Não adotar a solução Vrbo, pois ela pertence a Expedia Group

     

     Vrbo/HomeAway propõe uma perspetiva muito avançada e inteligente na nossa opinião, que cumpre os regulamentos, mas também permite que os estabelecimentos continuem a gerir completamente os pagamentos, através de certas adaptações no seu Channel Manager.

    1. No momento da reserva, Vrbo recolhe os dados do cartão do hóspede, avalia se está afetado pela PSD2, e, em caso afirmativo, o próprio portal realiza uma “autenticação delegada”.
      Isto significa que, embora a Vrbo não vá operar a cobrança, pede ao hóspede que autentique a SCA (3DS 2) em nome da entidade que irá gerir os pagamentos mais tarde.
    2. Envia a reserva através do Channel Manager, como sempre, mas incluindo informação adicional correspondente à “autenticação delegada” realizada. Isto permite ao Channel Manager operar os encargos do cartão de acordo com o que o estabelecimento configurou, e cumprindo a PSD2 ao obter a valiosa autenticação inicial. Desde que o Channel Manager integre uma gateway de pagamento, e saiba como gerir estas autenticações delegadas.

    Nosso Channel Manager oficial para Vrbo está completamente adaptado à gestão de autenticação delegada exigida pelo portal, cumprindo com a PSD2 e permitindo-lhe gerir pagamentos, pré-autorizações, de uma forma completa como até agora.

    A adaptação feita pela Vrbo é muito positiva para os estabelecimentos que desejam continuar a gerir os pagamentos das suas reservas. É simples e ideal. É difícil pensar por que razão outros portais e OTAs não teriam escolhido uma adaptação semelhante. É porque parece claro que eles estão interessados no modelo Merchant, intermediando os pagamentos. E as mudanças que propõem não visam apenas satisfazer os requisitos da PSD2, mas também a sua estratégia.

    👍 PRÓS

    • Permite que o alojamento continue a gerir 100% dos encargos de uma reserva, mas também facilita a autenticação PSD2
    • Poupança dos custos associados às suas reservas
    • Maior liquidez e flexibilidade para cobrar

    👎 CONTRAS

    • Para os anunciantes que preferem não ter de gerir as cobranças das reservas, a Vrbo não oferece a sua própria intermediação de pagamento.

     

     Airbnb trabalha no modelo Merchant desde o início, intermediando 100% do pagamento das reservas geradas com um custo de 3%, e liquidando ao alojamento por transferência no início da reserva. Neste cenário, as hipotéticas adaptações que o portal teria de fazer para cumprir a PSD2 não afetam de modo algum os Channel Managers nem os Property Managers, uma vez que estes não têm de gerir qualquer pagamento online.

    Lembre-se que, a partir de 7 de dezembro de 2020, os estabelecimentos conectados a um Channel Manager como AvaiBook terão um custo único com Airbnb que será de 15%, o que inclui tanto a comissão para o pagamento online como a comissão da OTA pelos seus serviços.

    👍 PRÓS

    • Menos custos. O custo de 3% está incluído na comissão de 15% cobrada pela Airbnb.

    👎 CONTRAS

    • Sem oportunidade para a tomada de decisões para gerir diretamente as cobranças
    • Menor liquidez, devido a políticas mais restritivas

     

     Rentalia, portal de aluguer de férias que pertence a idealista, utiliza a tecnologia de Motor de Reservas de AvaiBook, adaptada ao cumprimento da PSD2. Se anuncia o seu alojamento no portal líder espanhol, pode facilmente gerir as cobranças das suas reservas através da nossa tecnologia “PSD2 compliance”, uma vez que o nosso Motor de Reservas é responsável por autenticar os pagamentos necessários à SCA, e permite-lhe processar o resto das cobranças de que necessita para cumprir a regulamentação europeia.

    👍 PRÓS

    • Permite que o alojamento continue a gerir 100% das cobranças de uma reserva, em conformidade com a PSD2 e PCI.
    • Identificação imediata do hóspede
    • Fraud Scoring, ferramenta de controlo antifraude para melhorar a conversão das reservas e evitar fraudes.

     

    Como pode ver, cada OTA ou portal atua de uma forma diferente, por isso é muito importante que tenha um Channel Manager e uma Passarela de Pagamentos completamente adaptados a todos estes cenários, para que possa gerir corretamente as reservas provenientes destes canais.


    Pode ler aqui o resto da série de artigos referentes a PSD2:

    O que é a PSD2/SCA e quando começará a ser aplicada?

    Como a PSD2/SCA afetará o Aluguer de férias: as excepções serão as regras

    PSD2 e venda direta: Motor de reserva e PMS “PSD2 compliance”

    OTAs: Adaptação a PSD2 e como o pode afetar